Prefeitos eleitos nas 32 cidades mais empreendedoras do país focam em inovação

Ao todo, eles incluíram 321 propostas citando o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação para aprimorar algum setor da administração pública, revela levantamento da Rede Cidade Digital.

Nas 32 melhores cidades para se empreender no país o investimento nas Tecnologias da Informação e Comunicação para fomentar o desenvolvimento econômico está previsto para os próximos quatro anos. É o que revela consulta feita Rede Cidade Digital (RCD), a pedido da Revista Exame, aos planos de governo dos prefeitos eleitos nestas localidades e protocolados junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O levantamento da RCD, que atua no estímulo às cidades inteligentes, mostra que depois da informatização dos serviços públicos (item mais lembrado com 21%), que inclui a modernização e adoção de sistemas de gestão, por exemplo, incentivos na área para economia criativa, parques tecnológicos, incubadoras e startups foram as propostas mais destacadas pelos prefeitos eleitos: 42 ou 13% do total.

Prefeitos eleitos nas 32 cidades mais empreendedoras do país focam em inovação
Prefeitos eleitos nas 32 cidades mais empreendedoras do país focam em inovação

Ao todo, 321 propostas para o uso das TICs para aprimorar algum setor da administração pública constam nos documentos. As cinco cidades que mais apontam investimentos em tecnologia, com foco em ambientes de inovação e de conectividade, são Teresina (PI), São Paulo (SP), Natal (RN), Aracaju (SE) e Joinville (SC), respectivamente. Assim como nas localidades menores, a necessidade de melhorar o atendimento e dar mais eficiência a setores como Saúde, Educação e Segurança também estão entre os principais projetos da nova gestão 2017-2020.

Para o diretor da RCD, José Marinho, a demanda social, exigida pelo cidadão cada vez mais conectado, faz com que os municípios busquem na tecnologia a solução para diversos problemas urbanos. “Principalmente nos grandes centros, que sofrem há décadas com o crescimento desordenado devido à migração, a tecnologia é fundamental para melhorar o fluxo intenso de informação e facilitar a vida das pessoas por meio da implantação de ferramentas, equipamentos e soluções”, observa Marinho.

As localidades mapeadas pela RCD constam no Índice Cidades Empreendedoras, produzido pela Endeavor, e divulgado recentemente. Dos 31 planos de governo analisados, dois não citam o uso de tecnologia: Sorocaba e São José dos Campos (SP). Apenas Brasília não entrou na contagem dos dados por não ter eleições municipais.

Maringá, que sediou em novembro o 4º Congresso Paranaense de Cidades Digitais, é a melhor colocada entre as localidades do Estado. Está entre as 10 primeiras do país com maior número de propostas em tecnologia. Teresina lidera o ranking, onde o prefeito reeleito Firmino Filho, do PSDB, acrescentou mais de 35 itens referindo-se à adoção de iniciativas tecnológicas para aprimorar algum setor da administração municipal.

De acordo com o plano de governo registrado no TSE, além de investimentos em tecnologia nas principais áreas como Saúde, Educação e Segurança, Firmino cita a criação e implantação do Núcleo de Startups em parceria com as universidades, do Polo Empresarial- Sul como meta articular junto às empresas de telecomunicações a instalação de internet de alta velocidade na região e do Projeto SINERGIA, que tem como objetivo, segundo o documento, “desenvolver um centro de empreendedorismo em Tecnologia da Informação na capital, com ações de qualificação, articulações com empresas de tecnologia que apoiam estudantes e jovens profissionais na inserção no mercado de trabalho”.

Sobre a Rede Cidade Digital – Iniciativa apartidária criada há cinco anos para estimular o aprimoramento dos serviços públicos e crescimento econômico, principalmente de municípios menores, por meio das Tecnologias da Informação e Comunicação. Desde então, promoveu mais de 30 fóruns regionais de cidades digitais e cinco congressos estaduais, gratuitos para servidores municipais e abrangendo os três estados do Sul, como forma de levar informação sobre os benefícios e impactos de investir no setor.

Realizados em parceria com Prefeituras e Associações de Municípios, os eventos são direcionados a prefeitos, gestores e vereadores que têm pouco ou nenhum acesso a esse tipo de conhecimento, geralmente concentrado em grandes centros. O objetivo, conforme ressalta o diretor da RCD, é aproximar os administradores públicos das novas tecnologias e do mercado fornecedor de tecnologia, interessado em levar soluções aos pequenos municípios. O principal meio de comunicação é o portal redecidadedigital.com.br. Em 2017, o planejamento da RCD envolve também a realização de eventos em outros dois estados: São Paulo e Minas Gerais. “Trata-se de um novo ciclo nas cidades onde a tecnologia terá papel determinante para o desenvolvimento e aprimoramento dos serviços públicos. Com planejamento em TIC e inovação, os municípios passam a encontrar uma nova fonte para reduzir gastos, aumentar a arrecadação e, principalmente, tornar a vida do cidadão melhor”, completa Marinho.

Informações sobre o calendário de eventos da RCD em 2017 e como diversas Prefeituras pelo país têm investido em tecnologia podem ser obtidas pelo redecidadedigital.com.br