Prefeitos eleitos nas 32 cidades mais empreendedoras do país focam em inovação

Prefeitos eleitos nas 32 cidades mais empreendedoras do país focam em inovação

Ao todo, eles incluíram 321 propostas citando o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação para aprimorar algum setor da administração pública, revela levantamento da Rede Cidade Digital.

Nas 32 melhores cidades para se empreender no país o investimento nas Tecnologias da Informação e Comunicação para fomentar o desenvolvimento econômico está previsto para os próximos quatro anos. É o que revela consulta feita Rede Cidade Digital (RCD), a pedido da Revista Exame, aos planos de governo dos prefeitos eleitos nestas localidades e protocolados junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O levantamento da RCD, que atua no estímulo às cidades inteligentes, mostra que depois da informatização dos serviços públicos (item mais lembrado com 21%), que inclui a modernização e adoção de sistemas de gestão, por exemplo, incentivos na área para economia criativa, parques tecnológicos, incubadoras e startups foram as propostas mais destacadas pelos prefeitos eleitos: 42 ou 13% do total.

Prefeitos eleitos nas 32 cidades mais empreendedoras do país focam em inovação
Prefeitos eleitos nas 32 cidades mais empreendedoras do país focam em inovação

Ao todo, 321 propostas para o uso das TICs para aprimorar algum setor da administração pública constam nos documentos. As cinco cidades que mais apontam investimentos em tecnologia, com foco em ambientes de inovação e de conectividade, são Teresina (PI), São Paulo (SP), Natal (RN), Aracaju (SE) e Joinville (SC), respectivamente. Assim como nas localidades menores, a necessidade de melhorar o atendimento e dar mais eficiência a setores como Saúde, Educação e Segurança também estão entre os principais projetos da nova gestão 2017-2020.

Para o diretor da RCD, José Marinho, a demanda social, exigida pelo cidadão cada vez mais conectado, faz com que os municípios busquem na tecnologia a solução para diversos problemas urbanos. “Principalmente nos grandes centros, que sofrem há décadas com o crescimento desordenado devido à migração, a tecnologia é fundamental para melhorar o fluxo intenso de informação e facilitar a vida das pessoas por meio da implantação de ferramentas, equipamentos e soluções”, observa Marinho.

As localidades mapeadas pela RCD constam no Índice Cidades Empreendedoras, produzido pela Endeavor, e divulgado recentemente. Dos 31 planos de governo analisados, dois não citam o uso de tecnologia: Sorocaba e São José dos Campos (SP). Apenas Brasília não entrou na contagem dos dados por não ter eleições municipais.

Maringá, que sediou em novembro o 4º Congresso Paranaense de Cidades Digitais, é a melhor colocada entre as localidades do Estado. Está entre as 10 primeiras do país com maior número de propostas em tecnologia. Teresina lidera o ranking, onde o prefeito reeleito Firmino Filho, do PSDB, acrescentou mais de 35 itens referindo-se à adoção de iniciativas tecnológicas para aprimorar algum setor da administração municipal.

De acordo com o plano de governo registrado no TSE, além de investimentos em tecnologia nas principais áreas como Saúde, Educação e Segurança, Firmino cita a criação e implantação do Núcleo de Startups em parceria com as universidades, do Polo Empresarial- Sul como meta articular junto às empresas de telecomunicações a instalação de internet de alta velocidade na região e do Projeto SINERGIA, que tem como objetivo, segundo o documento, “desenvolver um centro de empreendedorismo em Tecnologia da Informação na capital, com ações de qualificação, articulações com empresas de tecnologia que apoiam estudantes e jovens profissionais na inserção no mercado de trabalho”.

Sobre a Rede Cidade Digital – Iniciativa apartidária criada há cinco anos para estimular o aprimoramento dos serviços públicos e crescimento econômico, principalmente de municípios menores, por meio das Tecnologias da Informação e Comunicação. Desde então, promoveu mais de 30 fóruns regionais de cidades digitais e cinco congressos estaduais, gratuitos para servidores municipais e abrangendo os três estados do Sul, como forma de levar informação sobre os benefícios e impactos de investir no setor.

Realizados em parceria com Prefeituras e Associações de Municípios, os eventos são direcionados a prefeitos, gestores e vereadores que têm pouco ou nenhum acesso a esse tipo de conhecimento, geralmente concentrado em grandes centros. O objetivo, conforme ressalta o diretor da RCD, é aproximar os administradores públicos das novas tecnologias e do mercado fornecedor de tecnologia, interessado em levar soluções aos pequenos municípios. O principal meio de comunicação é o portal redecidadedigital.com.br. Em 2017, o planejamento da RCD envolve também a realização de eventos em outros dois estados: São Paulo e Minas Gerais. “Trata-se de um novo ciclo nas cidades onde a tecnologia terá papel determinante para o desenvolvimento e aprimoramento dos serviços públicos. Com planejamento em TIC e inovação, os municípios passam a encontrar uma nova fonte para reduzir gastos, aumentar a arrecadação e, principalmente, tornar a vida do cidadão melhor”, completa Marinho.

Informações sobre o calendário de eventos da RCD em 2017 e como diversas Prefeituras pelo país têm investido em tecnologia podem ser obtidas pelo redecidadedigital.com.br

Como fugir dos crimes mais comuns na internet

Dicas: Veja como fugir das fraudes mais comuns na internet

Apoio: Criminosos atualizam velhos golpes aplicados na praça, agora com ajuda da plataforma digital. Delegado chama atenção aos comportamentos de risco.

Nada melhor do que atualizar os dados bancários no aconchego do lar, não é ? Basta uma ligação do banco e problema resolvido. É contando com essa expectativa que bandidos se passam por representantes de instituições bancárias para coletar dados pessoais de inúmeras vítimas e assim realizar diversos tipos de fraude. Em boa parte dos casos, a própria vítima fornece as informações, sem sequer imaginar que está colaborando com o criminoso.

Como fugir dos crimes mais comuns na internet
Como fugir dos crimes mais comuns na internet

“As pessoas precisam saber que nenhuma instituição financeira faz atualização ou complementação de dados por telefone ou por meio eletrônico”, afirma o coordenador do Grupo de Repressão aos Crimes por Meios Eletrônicos (GME), delegado João Cavadas. Ele lembra ainda a importância de evitar repassar dados pessoais por telefone para desconhecidos e ter cuidado com cópias de documentos.

De acordo com o delegado, com dados pessoais, como nome completo, RG, CPF e data de nascimento, é possível fazer contratação de serviços sem a necessidade de apresentação de documentos originais, o que facilita a ação dos bandidos. Por isso, ele orienta bastante cautela na divulgação dessas informações, principalmente nas redes sociais. “Quanto mais conhecimento uma pessoa má intencionada tem ao seu dispor, maior será a facilidade desta se passar pela vítima”, explica.

A promessa de dinheiro fácil também costuma atrair boa parte das vítimas, diz o especialista. Promoções mirabolantes e e-mails com destinatários desconhecidos também devem ser ignorados. Para Cavadas, as fraudes cometidas atualmente são as mesmas aplicadas há anos, mudando apenas a plataforma utilizada.

“São crimes aplicados, na maioria das vezes, aproveitando-se da cobiça das pessoas em ser beneficiadas com dinheiro, produtos, serviços ou, até mesmo, comodidade”, continua, citando o famoso ‘conto do paco’, como ficou conhecida a ação de bandidos que oferecem ‘recompensas’ em troca de uma ação simulada por eles, resultando no furto da vítima. Outro golpe comum hoje realizado com a ajuda de meios digitais é a venda de produtos a preços muito abaixo do mercado, quando, na verdade, eles nem existem.

FONTE: Assessoria de Comunicação da S.S.P. da Bahia.

Provedores de Internet

É preciso dar condições para provedores locais atenderem a demanda, diz diretor da Abranet

Conectividade é um dos temas tratados durante o 4º Congresso Paranaense de Cidades Digitais, que reúne neste mês gestores públicos e empresários em Maringá

As empresas locais de internet têm tido papel fundamental para fornecer conectividade onde não há interesse das grandes operadoras. Já são quase cinco mil provedores regionais no país, segundo o diretor de Planejamento Estratégico e Marketing da Associação Brasileira de Internet (Abranet), Dorian Lacerda Guimarães. Apesar do mercado em expansão, o diretor destaca que é preciso dar condições para que os provedores regionais consigam fornecer condições de desenvolvimento aos municípios interessados na implantação de infraestruturas de rede. “Conectividade é um fator acelerador. Investir localmente é gerar renda, empregos, oportunidades para as pessoas que estão nas cidades”, observa.

Provedores de Internet
Provedores de Internet

Conectividade, infraestrutura de rede e soluções tecnológicas serão temas de encontro entre gestores públicos e empresários durante o 4º Congresso Paranaense de Cidades Digitais, que será realizado em Maringá, dias 24 e 25 de novembro. Representantes de mais de 100 municípios já estão inscritos para o evento, gratuito para servidores públicos, promovido pela Rede Cidade Digital (RCD) em parceria com a Prefeitura de Maringá.

A Abranet é uma das entidades apoiadoras da iniciativa. Guimarães vê como positivo o compartimento de experiências e interesse das prefeituras nas cidades digitais e inteligentes. “Só o fato de reunir pessoas e trazer essa onda de inovação já é positivo. Deixa um grande legado. Somos muito imediatistas. Esse mundo digital está fazendo as pessoas serem muito rápidas. O governo que não é digital acaba não tendo eficiência no que faz”, completa.

As inscrições são gratuitas para servidores públicos e devem ser feitas pelo congresso.redecidadedigital.com.br

Para o diretor da RCD, José Marinho, a partir de 2017 novos investimentos devem ser feitos nos municípios, devido ao momento econômico, pela escassez de recursos e necessidade das Prefeituras de enxugar gastos, otimizar os serviços e aumentar a arrecadação, e pelo período pós-eleitoral, no qual os novos prefeitos iniciam a implantação de seus planos de governo. “A tecnologia é transversal a todos os setores da administração pública e deve ser estratégica para a adoção de ações visando o aprimoramento dos serviços públicos e desenvolvimento socioeconômico das cidades”, afirma Marinho, ressaltando a importância do Congresso que é considerado o principal evento direcionado para pequenos e médios municípios.

O 4º Congresso Paranaense de Cidades Digitais conta com patrocínio master da ENW e SAJ Procuradorias; ouro da Exati Tecnologia, Smart Matrix e W3 Informática; prata da Digistar Telecomunicações, Paliari, DRZ, Sinax, Rang Tecnologia e Gauss Geotecnologia; bronze da UniCesumar. A iniciativa também tem o apoio institucional do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações; da Associação de Municípios do Paraná (AMP), das associações de municípios AMCG, AMSOP, AMUNOP, ASSOMEC, CANTU, AMCESPAR, AMEPAR, AMERIOS, AMUNORPI, AMUSEP, COMCAM, AMUVI e AMUNPAR, além da ABRANET, ABEPREST, Assespro-PR, ABINC, ACIM, Terra Roxa Investimentos e União dos Vereadores do Paraná (UVEPAR).

Serviço:

4º Congresso Paranaense de Cidades Digitais

Maringá – 24 e 25 de novembro

Inscrições gratuitas para servidores públicos

http://congresso.redecidadedigital.com.br/

Informações pelo (41)3015-6812 ou pelo congresso@redecidadedigital.com.br

Softwares

Software é cada vez mais protagonista na transformação digital brasileira

Em 2017, as projeções são de que as despesas com softwares cresçam 7,8%

Os gastos com TI no Brasil devem atingir R$ 236,1 bilhões em 2017, um aumento de 2,9% comparado a 2016, de acordo com a última previsão feita pelo Gartner. Os analistas da consultoria afirmam que, no futuro, o fortalecimento da moeda real fará com que o dólar referente a TI vá além, ajudando as organizações a atualizarem suas tecnologias conforme a melhora da economia brasileira.

Softwares
Softwares

“A volatilidade significativa da taxa de câmbio e os desdobramentos políticos têm impactado o mercado brasileiro nos últimos dois anos. No entanto, de uma perspectiva de gastos com TI e em um momento de comportamento de austeridade do mercado, o Brasil está começando a mostrar sinais de recuperação. O País está em uma fase de transição em direção às tecnologias com um impacto nos negócios em curto e médio prazo e uma transformação digital em longo prazo”, afirma Luis Anavitarte, Vice-Presidente de Pesquisa do Gartner.

Projeções do Gartner para 2017 em relação a 2016 apontam que o segmento de dispositivos (incluindo PCs, tablets, celulares e impressoras) no Brasil deve atingir um total de R$ 46 bilhões, um aumento de 5,3%. Os gastos com sistemas de Data Center totalizarão R$ 6,8 bilhões, uma queda de 1,4% sobre 2016. Já as despesas com software irão chegar a R$ 14,6 bilhões, crescendo 7,8%. Por sua vez, os gastos com serviços de TI alcançarão R$ 55,4 bilhões em 2017, um aumento de 6,3%, e os serviços de comunicação devem ter um crescimento estável, totalizando R$ 113,3 bilhões em 2017.

De acordo com a consultoria, Software e serviços de TI serão a chave para o desenvolvimento da infraestrutura da civilização. “A infraestrutura da civilização mudará para sempre a forma como as pessoas agem social, digital e fisicamente por meio de sensores conectados e da inteligência digital”,pontuou o Vice-Presidente de Grupo do Gartner, Val Sribar. Para ele, os gestores de TI vão participar da criação de uma nova plataforma digital baseada em inteligência, que permitirá a criação de ecossistemas, negócios conectados e indústrias em queda. Ela irá mudar a própria sociedade e a forma como as pessoas vivem.

Via Convergência Digital.

Prontuário Eletrônico

Governo quer prontuário eletrônico nos postos de saúde em até 60 dias

Atualmente, dos 41.688 postos de saúde em funcionamento, apenas 24% utilizam prontuários eletrônicos

Postos de saúde de todo o país terão 60 dias para implementar o prontuário eletrônico, sistema que deve trazer dados como o histórico dos atendimentos feitos aos pacientes e resultados de exames, entre outras informações.

O prazo foi anunciado nesta quinta­-feira (6) pelo Ministério da Saúde. Segundo a pasta, as unidades que não se adaptarem ao novo modelo até o início de dezembro poderão ter recursos federais voltados à atenção básica cortados. Hoje, esses recursos, que custeiam programas como o Saúde da Família, por exemplo, correspondem a R$ 10 bilhões ao ano.

Prontuário Eletrônico
Prontuário Eletrônico

Apesar do projeto, dados do próprio ministério mostram que a implementação do prontuário pode ser alvo de impasses. De 41.688 postos de saúde em funcionamento no país, só 10.134 já utilizam prontuários eletrônicos –o equivalente a apenas 24%. O restante, ou 76%, ainda registram atendimentos e histórico dos pacientes em papel.

Desde 2014, a pasta também repassa recursos para ampliar o acesso à internet nas unidades de saúde. Ao todo, 8.000 já receberam verbas para ampliar as conexões –destas, no entanto, só 4.800 enviam dados por sistema eletrônico. O ministério não informou o total de unidades ainda sem acesso à internet.

Questionado, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, afirma que não deve haver problemas para a implementação. Segundo ele, dados do Ministério das Comunicações apontam que todos os municípios têm ao menos um ponto de internet banda larga.

Caso uma unidade não puder realizar a implementação, afirma, deve enviar uma justificativa para que o caso seja analisado e para que o governo possa tomar medidas até o cumprimento do prazo.

“Alguns municípios reportarão dificuldades. Vamos apoiá­los para que recebam a conectividade e veremos como proceder as informações para os municípios mais distantes, mais remotos”, disse. “Quem não puder estar no sistema vai ter que justificar, senão para de receber o PAB [recursos do piso da atenção básica]”, afirma ele, para quem os dados devem ser utilizados para verificar a aplicação dos recursos na rede e para ter maior controle dos atendimentos. “Vai dar para saber o lugar na fila? Deus ajude que sim. Não estou propondo isso, mas espero que o sistema nos ajude a ver isso”, afirmou.

Biometria – Para implementar o sistema, o ministério afirma que irá oferecer uma nova plataforma gratuita de envio de dados a todos os municípios. Cidades, no entanto, também podem optar por usar um sistema próprio, informa.

A plataforma, chamada de e­SUS AB, deve trazer espaço para que sejam gravados dados de consultas realizadas e diagnósticos, procedimentos realizados, resultados de exames e disponibilidade de medicamentos na rede.

O ministério também afirma que vai implementar, até 2017, serviços de biometria nas unidades de saúde, por meio de uma parceria com o Tribunal Superior Eleitoral. O objetivo é evitar fraudes. Segundo Barros, a pasta também estuda ampliar os serviços de telemedicina, em que médicos dos postos de saúde podem recorrer a especialistas de várias áreas para analisar os casos em conjunto.

Via Folha de São Paulo.

Instituto Metrópole Digital

Aluno do IMD recebe medalha em Olimpíada de Informática

O aluno do Talento Metrópole e do Bacharelado em Tecnologia da Informação (BTI) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Victor Agnez, foi classificado em primeiro lugar geral na Olimpíada Iberoamericana de Informática, cuja medalha de ouro foi entregue durante a cerimônia da Olimpíada Internacional de Informática, ocorrida em Kazan, na Russia, no mês de agosto. A medalha foi entregue à delegação brasileira presente ao evento.

Instituto Metrópole Digital
Instituto Metrópole Digital

Victor já tinha sido medalha de prata na Olimpíada Brasileira de Informática, realizada em 2015, tendo sido selecionado para participar da Olimpíada Internacional, e habilitado para participar da Olimpíada Iberoamericana, ocorrida em 22 de julho de 2016. Sem condições de participar do evento, ele competiu com mais cem estudantes, classificando-se em primeiro lugar e levando uma das quatro medalhas de ouro.

Essas participações e prêmios são muito importantes, ressalta Victor, porque estimulam o estudo e ajudam a desenvolver o raciocínio lógico. “E também contam muito a favor na empregabilidade do profissional”, acredita. A próxima meta é estudar para a Maratona de Programação e, quem sabe, se classificar para a fase mundial, que acontece em 2017. Para conseguir esta nova conquista Victor está trabalhando juntamente com os estudantes Hélio Duarte (BTI/IMD) e Railton Thales ( Engenharia da Computação/UFRN).

Veja a lista completa dos participantes da Olimpíada Iberoamericana de Informática no link.

Tecnologia da Informação e Comunicação

Representantes de 20 localidades já estão inscritos para o II Fórum de Cidades Digitais dos Campos Gerais

Em tempos de recessão econômica e momento pré-eleitoral, no qual novos projetos serão propostos nos municípios, evento torna-se estratégico por estimular o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação no desenvolvimento das localidades

No próximo dia 07 de Julho, gestores da região reúnem-se no Cine Teatro Ópera, em Ponta Grossa, com olhar nas cidades inteligentes para a solução de diversos problemas urbanos. O foco do II Fórum de Cidades Digitais dos Campos Gerais, organizado pela Rede Cidade Digital (RCD) em parceria com a Prefeitura de Ponta Grossa e Associação de Municípios dos Campos Gerais (AMCG), são as Tecnologias da Informação e Comunicação para aprimorar os serviços públicos e desenvolver as localidades.

Tecnologia da Informação e Comunicação
Tecnologia da Informação e Comunicação

Representantes de 20 localidades já estão inscritos no evento que abordará temas como comunicação e relacionamento dos cidadãos, aumento de arrecadação, digitalização de documentos, planejamento e execução de projetos que estão proporcionando para alguns municípios dos Campos Gerais otimizar a gestão, reduzir custos e, principalmente, facilitar a vida da população com o uso da internet. “Será a oportunidade para que prefeitos, gestores e vereadores compartilhem experiências e conheçam ideias para aplicar em seus municípios. As cidades que estiverem preparadas para o momento de crescimento econômico do país sairão na frente no processo de desenvolvimento, já que se tornarão mais atrativas por esse ambiente de inovação e conectividade”, afirmou o diretor da Rede Cidade Digital (RCD), José Marinho, informando que a programação completa estará disponível no início da próxima semana.

Em 2015, a primeira edição realizada também em Ponta Grossa contou com a apresentação de algumas cidades digitais da região como Telêmaco Borba, Piraí do Sul e Engenheiro Beltrão. Segundo o diretor da RCD, os fóruns e congressos promovidos têm estimulado o surgimento de iniciativas pelo país. “Carambeí, por exemplo, vai mostrar como tem investido em tecnologia para melhorar os serviços e o atendimento ao cidadão”, adianta Marinho.

O II Fórum de Cidades Digitais dos Campos Gerais tem o patrocínio prata do SAJ Procuradorias e apoio da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação, Software e Internet no Paraná (ASSESPRO-Pr). As inscrições são gratuitas para servidores públicos e devem ser feitas pelo http://forum.redecidadedigital.com.br/pontagrossa.

Serviço:

II Fórum de Cidades Digitais dos Campos Gerais
7 de Julho
Ponta Grossa
Cine Teatro Ópera
Início: 8 horas
Inscrições gratuitas para servidores públicos
http://forum.redecidadedigital.com.br/pontagrossa/